Fim do Orkut


De certo modo a rede que já estava quase morta chega ao seu fim este ano.








Foi a maior rede social do mundo até 2011, mas chegou seu fim. na manhã desta segunda-feira (30), Paulo Golgher, diretor de engenharia do Google, publicou uma nota no blog oficial da companhia confirmando que o Orkut será descontinuado no dia 30 de setembro deste ano.





Novos perfis não poderão ser criados e usuários antigos terão um período para poder exportar seus dados, como fotos e scraps. Uma ferramenta também permitirá converter o perfil do Orkut em perfil no Google+, rede social criada em 2011, mas que ainda tem pouquíssimos usuários.





Depois de setembro, nem mesmo o endereço "orkut.com" deverá ser mantido pela empresa, visto que Orkut Büyükkökten, engenheiro turco criador da rede, deixou o Google há quatro meses e pretende manter controle sobre o domínio. 





Atrativo do Orkut, as comunidades terão tratamento diferenciado. Ao menos parte delas não será apagada, ficará mantida de forma estática, "congelada", como uma espécie de museu do serviço. A ideia é preservar a memória da internet brasileira na década passada.

Em relação a perfis e comunidades suspeitos de envolvimento em crimes, como pornografia infantil, os dados de casos com investigação em curso serão preservados também até o final do ano. Em julho de 2008, Google e Ministério Público firmaram um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) sobre o tema como resultado da CPI da pedofilia.





No TAC, o Google se comprometeu a comunicar os casos em que o material ilícito fosse divulgado e a preservar em seus servidores os conteúdos necessários à investigação do crime por um prazo de 180 dias, prorrogável por mais 180 dias.